A fidelidade de José - Pr. Eri Carlos

Defendendo o Campo de Lentilhas-Pr. Eri Carlos

Senhor, mostra-me o Teu Caminho

Resgatando as Ovelhas Perdidas

Resgatando as Ovelhas Perdidas
Jesus é o Bom Pastor. O bom pastor dá sua vida pelas ovelhas, ele deixa as 99 no aprisco e busca a que se desgarrou, trazendo-a em seus ombros. Enquanto perdemos nosso tempo com coisas supérfluas, muitas ovelhas estão perdidas e cabe a nós a missão do IDE para resgatar tais ovelhas que se desgarraram do aprisco do Senhor Jesus. Há uma estatística no Brasil de que 40 milhões de evangélicos pararam na beira do caminho, isso sem contar aqueles que não tiveram um encontro real com o Senhor. Não cabe a nós julgar a razão ou os "porquês", mas precisamos fazer alguma coisa para que o adversário de nossas almas não venha a se regozijar, e que o Reino de Deus venha a ser acrescentado com o número dos que hão de se salvar. Se você está desanimado ou parou nesta caminhada gloriosa, em nome do Senhor Jesus retome sua caminhada e seja um soldado de Cristo. Lembre-se que Ele deu a própria vida na cruz do calvário por mim e por ti e ainda nos garante a salvação. Deus te abençoe! Pr. Eri Carlos

Louvores Escritos

Livretes Cristãos

Bíblia OnLine

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Estudos Bíblicos

Deus prometeu, Deus cumpre!

Atos 2

          As promessas

Desde o princípio Deus nunca falhou em tudo o que prometeu e continua cumprindo suas promessas em nossas vidas.

Deus falou para Abraão sair da sua terra e do meio da parentela e da casa do pai, para a terra que Deus mostraria. Disse o Senhor Deus que faria de Abraão uma grande Nação, seu nome seria engrandecido e seria uma bênção. (Gn 12:1-2).
Abrão foi obediente ao Senhor e as promessas ditas foram todas cumpridas e hoje fazemos parte desta promessa, sendo considerados filhos de Deus por adoção e ligados a nação israelita pelas promessas.

Adoção é Outorgar a posição (direitos, privilégios, honras, ...) de filho de Deus; outorgar filiação (pôr na posição de Filho de Deus; adotar para dentro da família de Deus os homens que já foram feitos filhos de Deus).

Muitos de Israel rejeitaram as promessas de Deus, não reconhecendo seu Filho Unigênito como o Messias prometido, então a salvação e as bênçãos do Senhor se estenderam a nós os gentios que fomos privilegiados pela Sua misericórdia e infinito amor.

"Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda." (João 15: 16).

Hoje Deus tem o povo que deseja, do qual fazemos parte.  Ele começou com Abraão e terminou com Cristo, que é o primogênito de muitos irmãos.  Deus predeterminou que esses irmãos fossem parecidos com Cristo (Romanos 8:30). 

Promessa do Espírito Santo

Deus promete ao profeta Joel a vinda do Espírito Santo sobre os seus filhos, visando à realização de uma obra especial no mundo. (Joel 2:28-29).

 Jesus Cristo reafirmou essa promessa dizendo que quando fosse para o Pai, enviaria o Consolador para ensinar todas as coisas.

“Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito”. (João 14:26)

O Mestre deixou orientações aos seus discípulos para não se ausentarem de Jerusalém até que do alto fossem revestidos de poder e as promessas fossem cumpridas. (Lucas 24:49 e Atos 1:4-5)

A dádiva do Espírito Santo significou para o homem uma unção ou capacitação para realizar a obra de Deus. Essa capacitação é disponível a todo aquele que crê em Jesus Cristo, e procura servi-lo. O Espírito reveste o cristão do poder de Deus. Ser revestido desse poder é ser batizado com e pelo Espírito Santo.

Inicialmente, o Espírito Santo não era conhecido pelos Homens, embora desde sempre existisse.  Estava presente na criação. Em Gênesis está escrito que na criação do mundo, a terra estava vazia e informe, havia trevas e o Espírito de Deus pairava sobre as águas. (Gn 1,2b)

Em Atos dois, diz respeito à vinda do Espirito Santo, cumprindo então as promessas anteriormente mencionadas. A descida do Espírito Santo foi numa ocasião muito especial em que os discípulos se encontravam reunidos em Jerusalém e naqueles dias comemorava-se a festa de Pentecostes.

A palavra pentecostes (quinquagésimo dia), que no latim lê-se “pentecoste”, vem do grego “pentekosté”, que por sua vez é uma tradução da palavra hebraica “shavuot”. Shavuot, uma das festas mais importantes do calendário judaico, refere-se ao sexto dia do mês de Sivan, em que se comemora a outorga da Lei de Deus ao povo de Israel, no Monte Sinai. Segundo Archer Smith “sete semanas após a Páscoa vem a ‘Shavuot’ (Festa das Semanas), chamada de Pentecostes (cinquenta dias entre aquela e esta) comemora-se a dádiva da Torah, da sua promulgação no deserto (recebimento pelo povo da Lei)”.

"Ao cumprir-se o dia de Pentecostes estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente veio do céu um ruído, como que de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E lhes apareceram uma línguas como que de fogo que se distribuíam, e sobre cada um deles pousou uma. E todos ficaram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem." (Atos 2:142).

Os discípulos do Senhor foram os primeiros a contemplarem e serem agraciados pelas profecias e promessas do Senhor Jesus e estavam cheios do Espírito Santo.

Em Jerusalém havia várias representantes das nações reunidos em virtude da festa de pentecostes, e puderam ouvir um som que lhes chamava atenção e se dirigiram até o local proveniente.
Ao chegarem ouviam os discípulos apregoarem as boas novas da salvação através de Jesus Cristo, o Filho de Deus.
Muitos pasmavam por verem homens simples falarem em suas próprias línguas e outros criticavam dizendo que estavam embriagados.

O apóstolo Pedro tomou a iniciativa e explicou o que estava acontecendo e o sinal das línguas como cumprimento da profecia de Joel (2:14-21).
Pedro negou a acusação que estavam embriagados e disse que estava sendo cumprida a profecia de Joel sobre o derramamento do Espírito Santo (Joel 2:28-32).
Em seu discurso Pedro disse que Deus prometeu através do profeta Joel, derramar Seu Espírito sobre toda a carne, revelando sua vontade por profecias e visões. A profecia diz que aconteceriam sinais de julgamento (sangue, fogo, escuridão).
Falou ainda que todos os que invocassem o nome de Senhor seriam salvos (Romanos 10:12-13, onde Paulo cita esta parte da profecia para mostrar que os gentios seriam salvos junto com os judeus).
Na ocasião Pedro pregou a morte e ressurreição e ascensão de Jesus (2:22-36), confirmando que era o cristo tão esperado, porém rejeitado pelos judeus. Confirmou os milagres realizados por Jesus, como prova de que era aprovado pela parte de Deus.
Disse que o povo o rejeitou e entregou o senhor nas mãos dos iníquos para ser crucificado.
O apóstolo falou que a morte não pode vencer o Senhor, citando a profecia de Salmos de Davi (Sl 16-8-11); que Jesus ressuscitou e os apóstolos foram testemunhas oculares dos fatos.

Falar em línguas

As línguas estranhas foram dadas como sinal externo inicial do batismo no Espírito Santo.
Falar em línguas estranhas é falar no nível do espirito com o propósito de orar, dar graças ou cantar.
Em atos 2:17 o falar em línguas estranhas está relacionado como uma forma de profetizar.
O cristão deve sempre pedir ao Senhor os dons, pois é uma promessa a todo crente que andar em santidade e obediência.
Não é apenas o dom de evidência de novas línguas, mas o Espírito Santo poderá conceder outros dons, tais como:

·     Dom da Palavra de Sabedoria (At 6:3; I Co 12:8; 13:2, 9,12);
·     Dom do Conhecimento (Atos 5:1-10; Atos 10:47, 48; 13:2; 15:7-11; I Co 12:8; 13:2, 9; 14:25);
·     Dom da fé ( Mt 21:21,2; Mc 9:23,24; Lc 17:6; At 3:1-8; 6:5-8; I Co 12:9; 13:2; Tg 5:14,15);
·     Dom da Cura (Mt 4:23,24; 8:16; 9:35; 10:1,8; Mc 1:32-34; 6:13; 16:18; Lc 4:40,41; 9:1,2; Jo 6:2; 14:12; At 4:30; 5:15,16; 19:11,12; I Co 12:9,28,30);
·     Dom da Operação de Maravilhas (Mt 4:23,24,8,16. 10:1,8; 13:54; Mc 1:32;33;39; 3:15; 6:13: 16:171; Lc 4:40;41; 9:1; 101:17; Jo 7:3; 10:15,32; 14:11; 15:24, At 2:2,43; 4:30; 5:15,16; 6:8; 8:6,7; 14:3; 15:12; 19:1,12; Rm 15:19; ICo 121:10,29; 2 Co 12:12; Gl 3:5);
·     Dom da profecia (Lc 12:12; At 2:17,18; I Co 12:10; 13:9; 14:1-32; Ef 4:11; I Ts 5:20:21; 2 Pe 1;20,21; I Jo 4:1-3);
·     Dom do Discernimento de espíritos (I Co 12:10; 14:29);
·     Falar noutras Línguas (I Cor 12:20,28,30: 13:1 14:1-40);
·     Interpretação de Línguas (I co 12:10,30; 14,5),


Para a Igreja, Pentecostes significa o início de colheita das almas. Quando o cristão está revestido e cheio do Espírito Santo, ele se torna um ganhador de almas em potencial.

A atuação do Espírito Santo transforma indivíduos. Os discípulos foram dinamizados com o poder do Espírito, tornando-se ousados na proclamação e no testemunho de Jesus Cristo (Atos 2:4-6). O resultado fez-se sentir imediatamente no arrependimento do povo dos seus pecados (Atos 2:37), e na conversão ao Senhor Jesus Cristo (Atos 2:41).
O Espirito Santo de Deus capacita os filhos a proclamarem as boas novas (Evangelho) a toda criatura na fase da terra.
O objetivo é que todos venham ao conhecimento da verdade (Palavra), se arrependa de seus pecados e tenham uma vida transformada em Cristo Jesus e ainda têm uma promessa de vida eterna junto ao Senhor na Sua glória.

          A promessa do Messias

       A vinda do Senhor é referida 1845 vezes na Bíblia, sendo 1.527 no Antigo Testamento e 318 no Novo Testamento.

No livro de Mateus no Capítulo primeiro, está relacionado à genealogia do Senhor Jesus. De Abraão ao nascimento do Messias se passaram 42 gerações.

Deus prometeu, Deus cumpre. Deus falou está falado!


       Exemplo de líderes cheios do espírito de Deus:
      
          Em primeiro lugar o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo que dirigiu a Palavra a milhares de almas, apresentando-lhes o Reino Eterno.

O apóstolo Pedro

Pedro muitas vezes foi afoito, mas tinha convicção e cria naquilo que falava.
Certa vez Jesus disse: o que a multidão diz que ele era? Os discípulos responderam: João Batista, Elias, um profeta. Jesus então pergunta: E vós o quem dizeis que eu sou. Rapidamente Pedro tomou a iniciativa e disse; Tu és o Cristo de Deus.(Lucas 9:18-20)
Pedro era convicto e decidido, pois mesmo após ter negado Jesus por três vezes, passado quarenta dias na ocasião da festa de Pentecostes, com sua pregação cheia de poder e glória ganhou 3.000 almas para o reino do Senhor Jesus.

O Apóstolo João

João era conhecido como o discípulo bem-amado,
O seu Caráter: João é citado como o Apóstolo do amor; as características atribuídas a ele são: coragem, lealdade, percepção espiritual, amor e humildade.
João, juntamente com Pedro e Thiago, foi escolhido especialmente para estar com ele em numerosas situações muito significativas. Marcos 1:29, Mateus 5:37, Lucas 9:28-29, Marcos 14:33
João sempre esteve mais próximo de Jesus e ele conheceu a sua glória. É no Evangelho de João que vemos categoricamente que Jesus Cristo era o Messias, filho de Deus, o Evangelho provoca sérias reflexões sobre quem é Jesus, a natureza divina e eterna.
Provavelmente a Preexistência de Cristo é muito mais explicada nos Escritos de João do que qualquer outro livro do Novo Testamento.João 1.
Apóstolo André
O nome André significa "forte, másculo, vigoroso".
André foi o primeiro discípulo a seguir Jesus (Jo 1:39) e também foi o discípulo de João Batista (Jo 1:29).
Sua característica era: trabalhar sempre no anonimato e o egocentrismo crucificado, tendo uma, vida cristocêntrica.    
      
Seu maior prazer é levar pessoas a Jesus; levou seu irmão Pedro (Jo 1:41); Levou o rapaz dos dois peixes e cinco pães (Jo 6:8-10) e levou os gregos na páscoa (Jo 12:21).
André aparece somente três vezes na Bíblia, e em todas elas fazendo a mesma coisa, ou seja, levando pessoas a Cristo.      
          Foi o primeiro discípulo a seguir Jesus, porém, seu nome não aprece em primeiro lugar em nenhuma das listas dos doze apóstolos que a Bíblia dá, antes, aparece em posições variadas, conforme ia sendo lembrado pelos autores.
Tocou sempre o segundo violino, isto é, viveu uma vida inteira na sombra de seu irmão Pedro. 
                   
Os "Andrés" não ganham três mil almas num sermão, mas eles ganham os "Pedros" que assim fazem.     

Conta-se que André teria evangelizado muito na Grécia, entretanto, foi na província da Acaia, que ele desenvolveu verdadeiramente seu ministério, levando muitos a Jesus.       
A história reporta-nos que André teria sido pregado numa cruz em forma de X. Daí a expressão "cruz de santo André".         

André tinha um temperamento fleumático

O temperamento fleumático é calmo, frio, vagaroso, fácil de tratar e bem equilibrado. Para o fleumático, a vida é uma experiência feliz, tranquila e agradável, na qual ele evita, o mais que puder, o envolvimento com os outros.        

O Sr. Fleumático raras vezes se deixa perturbar, e raras vezes dá expressão á irritação ou ao riso. É o tipo de temperamento equilibradamente coerente.

O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio”. (Pv 11:30b).

          Filipe era um grande evangelista
Outro exemplo de servo de Deus foi Felipe e seu ministério foi notável, pois onde passava almas se convertia ao Evangelho do Senhor Jesus.
Quando estava em Samaria, realizou muitas obras e sinais em nome do Senhor Jesus, onde demônios eram expulsos, paralíticos e coxos foram curados e também muitos eram batizados.
Tem o caso do Eunuco da rainha de Candace, o qual Deus usou Filipe para ganhar aquela alma e expandir o Evangelho na Etiópia (Atos 8).
          Cada um dos discípulos do Senhor quando foram chamados para servir, eles se dedicaram a serem testemunhas para o mundo daquele que os chamara.
          Poderíamos citar Policarpo, um notável servo do Senhor que viveu no tempo da igreja primitiva, sendo perseguido e colocado numa fogueira por proferir a fé em Jesus Cristo.
          No momento em que estavam todos reunidos para finalizar o intento contra sua vida, Policarpo ouve uma voz: “Sê forte, Policarpo, sê homem!”. Naquele momento o próprio governador vendo sua fragilidade e idade avançada fala para ele desistir e negar Jesus. Policarpo olha para ele e diz: “Durante 86 anos, servi a Cristo e Ele nunca me falhou em nada, como posso eu agora rejeitar o meu Rei e Salvador?”. O martírio de Policarpo assinala o encerramento da era sub-apostólica, período que as igrejas eram dirigidas por companheiros dos apóstolos.
          Esses irmãos e muitos outros eram cheios do Espirito Santo e nada os fazia desistir e mesmo que custasse a vida não saiam presença do Senhor Jesus.

 Conclusão
Todo cristão que é cheios do Espírito Santo tem uma vida transformada e apresenta mudanças visíveis através dos frutos do Espirito que São: Amor, alegria, paz, paciência, afabilidade, bondade, fidelidade, brandura, temperança entre outros. (Gl 5:22...).
          Para receber esta graça da efusão do espírito Santo, é preciso abrir o coração, reconhecer-se pecador e que sem Deus não somos nada, crer na misericórdia de Deus, pedir com um coração sincero.
 
          Ter o fogo do Espírito Santo é ter uma vida consagrada no altar do Senhor e zelo pelas almas.
          Precisamos estar cheios do Espírito Santo, vivenciar o verdadeiro Evangelho perseverar na são doutrina, na unanimidade, no compartilhar do pão para alcançar as almas e acrescentar ao rebanho do Senhor.
Sem lenha o fogo se apaga. O Espirito Santo tira as cinzas de nossos altares e que o fogo consuma nossos sacrifícios;