A fidelidade de José - Pr. Eri Carlos

Defendendo o Campo de Lentilhas-Pr. Eri Carlos

Senhor, mostra-me o Teu Caminho

Resgatando as Ovelhas Perdidas

Resgatando as Ovelhas Perdidas
Jesus é o Bom Pastor. O bom pastor dá sua vida pelas ovelhas, ele deixa as 99 no aprisco e busca a que se desgarrou, trazendo-a em seus ombros. Enquanto perdemos nosso tempo com coisas supérfluas, muitas ovelhas estão perdidas e cabe a nós a missão do IDE para resgatar tais ovelhas que se desgarraram do aprisco do Senhor Jesus. Há uma estatística no Brasil de que 40 milhões de evangélicos pararam na beira do caminho, isso sem contar aqueles que não tiveram um encontro real com o Senhor. Não cabe a nós julgar a razão ou os "porquês", mas precisamos fazer alguma coisa para que o adversário de nossas almas não venha a se regozijar, e que o Reino de Deus venha a ser acrescentado com o número dos que hão de se salvar. Se você está desanimado ou parou nesta caminhada gloriosa, em nome do Senhor Jesus retome sua caminhada e seja um soldado de Cristo. Lembre-se que Ele deu a própria vida na cruz do calvário por mim e por ti e ainda nos garante a salvação. Deus te abençoe! Pr. Eri Carlos

Louvores Escritos

Livretes Cristãos

Bíblia OnLine

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Estudos Bílicos

A mentira e a Verdade
“Israel pecou, e transgrediram a minha aliança que lhes tinha ordenado, e tomaram do anátema, e furtaram, e mentiram, e debaixo da sua bagagem o puseram”. (Josué 7:11).

Introdução

Com a morte de Moisés, Josué se torna seu sucessor e fica incumbido de continuar a conduzir o povo de Israel à terra prometida.
Para conquistar a terra seria necessário passar ainda por muitos obstáculos, sendo um deles o rio Jordão para conquistar a cidade de Jericó.
Josué envia dois espias a Jericó, os quais em sua missão precisaram ficar escondidos na casa de Raabe, que era mulher prostituta.
Sabendo dos fatos acontecidos, onde o Deus de Israel abriu o mar vermelho para o Seu povo passar e fazendo perecer seus algozes, Raabe temeu ao Senhor e pediu clemência a ela e sua família.
Posteriormente, com a tomada de Jericó o povo de Israel preservou a integridade de Raabe com os seus, conforme havia combinado.


A conquista de Jericó

Quando os espias retornam a Josué com as noticias de Jericó, Deus ordena que o povo se santifique e que a arca do concerto seria conduzidas pelos sacerdotes e quando tocassem com os pés no rio Jordão as águas iriam se separar para que o povo passasse.
Desta forma aconteceu e tomaram doze pedras do rio, simbolizando as doze tribos de Israel, chegando à outra margem em Gilgal, celebraram a páscoa e a partir de então não tiveram mais o maná, mas no mesmo ano comeram das novidades da terra. (Josué 5:10...)
O povo de Israel cercou Jericó e Deus disse a Josué que tinha dado em suas mãos, instruindo-os para a conquista da cidade.
Deus avisa para não apanharem nada para si, pois a cidade seria anátema (amaldiçoada), apenas a prata, e o ouro, e os vasos de metal, e de ferro, seriam consagrados ao Senhor: iriam ao tesouro do Senhor.
Após cercarem rodearem a cidade por seis dias e no sétimo dia rodearam a cidade por sete vezes, foram um total de treze voltas em volta do muro de Jericó e no sétimo dia Deus dá vitória, quando tocaram as buzinas e gritaram os muros caíram e conquistaram a cidade.
"Pela fé, caíram os muros de Jericó, sendo rodeados durante
sete dias”. (Hb: 11:30).
O preço da mentira

Confiantes com a vitória de Jericó, agora a próxima cidade seria Ai, onde foram enviados espias, retornaram e ao retornarem dizendo que não era preciso muita gente para tomar a cidade, pois seria fácil a conquista.

Josué enviou três mil homens prontos para a batalha, porém aconteceu o imprevisível, sendo que esses homens tiveram que fugir dos homens de Ai e ainda foram feridos trinta e seis homens. (Josué 7:4...)

Nesse instante Josué rasga os seus vestidos e se prostra em terra perante a arca do Senhor, juntamente com os anciões de Israel e começa a indagar ao Senhor Deus porque tal fato teria acontecido.
Josué cita ao era somente o povo que foi envergonhado pelo inimigo e afirmou que o próprio nome de Deus seria blasfemado pelos inimigos. A resposta de Deus foi rápida e direta: Israel pecou e, por isso, perdeu a batalha. Mais ainda, Deus prometeu que continuariam perdendo suas batalhas enquanto o pecado continuasse no meio do povo. (Josué 7:7...)


O pecado descoberto e removido

Deus ordenou que Josué convocasse o povo, no dia seguinte, para descobrir o pecador no seu meio. Acã, um dos soldados da tribo de Judá, havia desrespeitado a palavra de Deus durante a batalha de Jericó (veja Josué 6:18-19). Em vez de destruir as coisas proibidas e entregar os metais preciosos para o tesouro de Deus, ele levou algumas coisas para a tenda dele. Acã escondeu uma capa babilônica, um pouco mais de 2 kg de prata e cerca de 500 gramas de ouro. A consequência era gravíssima. Além dos 36 homens mortos na batalha, Acã, toda a sua família e todas as suas posses foram destruídas.
Deus ordena que Josué se levante e santifique o povo e no outro dia seria tirado o anátema do meio do povo de Israel (Josué 7:13-26).

A segunda batalha contra Ai (Josué 8)

Uma vez que o pecado foi removido, o exército de Israel voltou à batalha. A segunda batalha foi bem diferente. Deus acompanhou o povo e entregou aquela cidade, com todos os seus 12.000 moradores, nas mãos dos israelitas. Por meio dessas duas batalhas, Deus deixou bem claro que as conquistas em Canaã não seriam alcançadas por causa da força militar do povo, mas através da fidelidade espiritual. Deus entregaria os inimigos aos israelitas fiéis, ou entregaria os israelitas infiéis aos inimigos. Tudo dependia da obediência do povo.

A mentira e suas consequências

Vimos pelos relatos bíblico o que Acã ocasionou ao povo de Israel por ter furtado e mentido, sendo que pela sua ganância colocou em risco a vida do povo de Israel.
Deus havia admoestado para não subtrair nada para si de Jericó, mas Acã desobedeceu ao Senhor.
Quantas vidas que se dizem cristãos estão vivendo uma mentira, trazendo para o seio do povo de Deus o anátema (maldições), misturas de paganismo, mundanismo e idolatrias.
As consequências são graves, pois não há crescimento espiritual, não há um culto verdadeiramente ao Senhor Deus e muitos não suportam as provas, não conseguem conquistar as promessas do Senhor e até mesmo abandonam o Evangelho do Senhor Jesus que conduz à vida eterna.

Satanás tem incutido em muitas mentes que para servir a Deus não precisa renunciar ao pecado, vindo como estás e ficando como eras.
Em consequência das mentiras não tem mudança de vida, ficando na mesmice e sem rumo.

“Para quem não sabe aonde quer chegar, qualquer lugar serve”.

“Para quem não tem rumo, até os ventos são contrários”.

Ilustração das três peneiras
Um rapaz procurou certo sábio e disse que precisava falar sobre uma outra pessoa.
Erguendo os olhos do livro que lia, o sábio perguntou:
- O que você deseja falar-me já passou pelas três peneiras?
- Três peneiras? Retrucou o rapaz, curioso.
- Sim! Respondeu o sábio. A primeira peneira é a verdade. O que você quer conversar comigo a respeito dos outros é um fato ou você ouviu alguém falar? Caso seja algo que tenha apenas ouvido alguém falar, vamos encerrar o assunto por aqui mesmo.
- No entanto, sendo fato, devemos passar então pela segunda peneira – a bondade. O que você vai contar é algo de bom? Ajuda a construir o caminho, a fama do próximo?
- Se o assunto é realmente coisa boa, ainda assim temos a terceira peneira – a necessidade. Convém contar? Resolve alguma coisa? Ajuda alguém? Pode melhorar a qualidade de vida das pessoas?
- E o sábio concluiu: Se passar pelas três peneiras, conte, estou pronto a ouvir, pois neste caso eu, você e nossos irmãos nos beneficiaremos. Todavia se for reprovado em pelo menos uma peneira, esqueça tudo e encerre o assunto. Será uma fofoca que servirá apenas para envenenar o ambiente e levar rancor e discórdia entre irmãos e amigos.

Três Peneiras:
1. É Verdade? (Efé 4:25)
2. Vai ajudar a pessoa de quem falamos? (Efé 4:29)
3. É preciso saber, ou seja, vai ajudar outros? (Efé 4:29)
Mentira no NT

No Novo Testamento, mais precisamente em Atos dos Apóstolos Capítulo 5, ocorreu um fato gravíssimo, onde Ananias e Safira mentiram ao Senhor quando não cumpriram seu propósito perante Deus.
Eles não pereceram pelo fato de terem segurado uma parte do dinheiro da venda do terreno, mas por ter mentido. Se eles chegassem até os apóstolos e falassem à verdade que tinham retirado parte do dinheiro para eles, com certeza a fatalidade poderia ter sido evitada.

A mentira é um pecado que entristece muito o Espírito Santo de Deus, seja ela interpretada como apenas uma “mentirinha”, por exemplo; “Diga que não estou em casa”; “há, isso não tem problema e não tem importância”, “ninguém está vendo”, “não pude fazer os trabalhos de casa porque faltou à luz “, etc.
Quantos que tem feito votos ao Senhor, porém votos de tolos, não cumprindo o que se tem prometido.

Tem ainda as mentiras que estão acontecendo em nossos dias, as quais foram citadas através das palavras proféticas, que nos últimos dias muitos não suportariam a são doutrina, teriam comichões nos ouvidos e amontoariam para si doutores da lei, para andar conforme suas vontades carnais. (II Timóteo 4).
Quanta mentira, quanto engodo! O Evangelho está sendo deturpado pelos emissários de satanás e alguns estão fazendo comercialização e vendendo o que pode, extraindo a lã e a gordura das ovelhas.

Satanás que é o pai da mentira (João 8:44) tem cauterizado a mente daqueles que não tem dado ouvido a Verdade.
Desde o princípio o inimigo de nossas almas procura enganar, alegando que se Eva provasse do fruto do conhecimento abriria seus olhos e seria igual a Deus. A partir do primeiro engano na humanidade nasceu o pecado da e até hoje permeia em muitos corações.
A consequência da mentira é gravíssima e aquele que persiste na mentira não entrará no Reino de Deus.

“Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte”. (Ap 21:8)


Conclusão
Acã desrespeitou a Palavra de Deus ( 1 capa babilônica; mais ou menos 2K pra e 500 gramas de ouro). Em virtude de seu pecado o povo de Israel pereceu, houve perdas.
Israel continuaria perdendo enquanto não tirasse o pecado de seu meio.
Deus só deu a vitória quando fosse removido o Pecado. O pecado foi descoberto e removido, resultado = Vitória do povo de Israel.
Lições aprendidas:
• Importância da obediência à Deus;
• O perigo do pecado escondido trás consequências gravíssimas;
• Não tem como enganar a Deus, o olho que tudo vê:
• Se arrepender de todo coração (se humilhar).
Todo esse quadro pode ser revertido quando abandonamos a mentira e passamos a viver em espírito e em verdade. Nosso Deus amou o mundo de tal maneira, dando seu próprio Filho Unigênito por amor da humanidade para que não creiam na mentira e possam viver na Verdade que é Cristo Jesus.
“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”.
Quem realmente ama a Jesus conhece a Verdade e está liberto das correntes do deus cruel do presente século. Jesus é a Verdade e a Vida e disse: “Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;" (João 11: 25).

Abandonemos a mentira e vivamos a Verdade em Cristo Jesus, assim encontraremos na cidade Santa e prometida aqueles que forem firmes e fiéis até o fim.
Deus abençoe! Pr. Eri Carlos (04/03/2012)

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Estudos Bíblicos

Não toqueis nos ungidos do Senhor
“Porque assim diz o SENHOR dos Exércitos: Depois da glória ele me enviou às nações que vos despojaram; porque aquele que tocar em vós toca na menina do seu olho”. (Zc 2:8).

Zacarias significa ”Jeová Lembra”, profetizou quando o povo de Israel havia voltado do cativeiro da Babilônia numa época difícil e de recomeço de vida.
Foi contemporâneo do profeta Ageu, onde ambos animaram os judeus, em Judá e em Jerusalém a persistirem na reedificação do templo nos dias de Zorobabel (governador) e de Josué (o sumo sacerdote).
É um dos livros messiânicos onde cita muitas profecias que se cumpriram no Novo Testamento concernentes ao Messias Jesus Cristo, com o povo de Israel e ainda hão de cumprir as demais num futuro bem próximo.

O profeta salienta a segunda vinda de Cristo para libertar o povo de Deus (igreja) e restaurar o povo de Israel, através de Sua obra regeneradora.

Ninguém toca no escolhido do Senhor

Desde que o povo de Israel foi liberto do cativeiro, Deus fez de tudo para que reconhecessem seu grande poder.

Mesmo que muitas vezes este povo errou, pagando um preço alto, o Senhor nunca desistiu dele.

Israel foi à nação escolhida para que ninguém tocasse no povo de Deus.

Todos descendentes do povo de Deus eleito do qual fazemos parte é zelado, monitorado e protegido pelo Senhor.

Depois que o império babilônico foi conquistado pelos Persas, sua capital chamava-se Susã, onde estavam os exilados judeus.

Num país estrangeiro o povo judeu estava sendo perseguido e Deus levanta Ester, uma plebéia, e a coloca como rainha da Persa.

“Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes”. (I Coríntios 1:27)

O povo judeu seria exterminado se não fosse a intervenção divina, usando a rainha constituída.
Hamã perseguia a Mardoqueu, um primo da rainha Ester que a criou como filha, pelo fasto de não se dobrar a posição que ele representava.

Hamã era acima de todos os príncipes da Pérsia, mas não sabia que tinha um Deus maior que luta pelos Seus.

Hamã era o primeiro ministro do reinado Persa, mas aquele que serve ao Senhor é considerado como ministro do Senhor nosso Deus.

“QUE os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus”. (I Coríntios 4:1).

Como Mardoqueu era judeu e não se inclinava à Hamã, este fez uma conspiração para exterminar com todos os judeus. Ele via algo diferente no povo judeu e os odiava por isso.

O povo de Deus realmente tem algo diferente e não passa despercebido, pois ele é testemunha viva do Senhor e tem o brilho do Espírito Santo.
O crente tem a marca de Cristo e quem tem marca é visto e notado, pois é santo e justo.

Hamã incitado por um ódio cruel, acha uma maneira de acabar com o povo judeu, alegando a Assuero, rei da persa, que os judeus tinham leis diferentes.
Foi então decretado que se não cumprissem a lei do rei, seriam mortos.

Os judeus entraram em grande pranto e desespero, pois não queriam desobedecer a Lei do Senhor para cumprir o desejo de Hamã.
Mardoqueu fica sabendo e encontra uma forma de avisar a rainha Ester, pois crê que ela fora exaltada por Deus para dar livramento ao Seu povo.

Como conseqüência de seu ato, Ester proclama ao povo judeu que jejue durante três dias para que ela entrasse na presença do rei.
Ninguém podia ir até o rei sem ser convidado por ele, caso contrário era morte na certa.

Deus entra com providência e Ester toma uma atitude indo falar com o rei e este a recebe de forma amigável, quebrando todo impedimento.
O rei ainda fala para ela pedir o que quiser, sendo que até o metade do reino ele daria a ela.

Ester marca um banquete e convida o rei Assuero e o primeiro ministro Hamã para a festa.

Na saída Hamã vê novamente Mardoqueu que não se dobra a ele e se enche de furor.
Ao chegar a sua casa contou o ocorrido e sua esposa fala para ele construir uma forca para Mardoqueu de aproximadamente 25 Mt. de altura.

Deus cuida e exalta os Seus

Durante à noite o rei assuero perdeu o sono e mandou que trouxessem os livros das memórias e observou que estava escrito o nome de Mardoqueu, o qual numa certa ocasião havia lhe salvado a vida de uma conspiração de dois eunucos.

Assuero pergunta aos seus servos quais as honras que foram dadas a Mardoqueu? Seus servos respondem que nada foi feito em seu benefício.

Hamã preparava forca para Mardoqueu no pátio e então é chamado pelo rei que pergunta qual a honra que deve dar a um homem que o rei se agrada?
Neste instante Hamã pensa que a honra será o para ele próprio, então diz que deve vestir com veste reais, montar num cavalo do rei, por uma coroa em sua cabeça e alguém saia puxando o animal, apregoando: “Assim se fará a um homem de cuja honra o rei se agrada”! (Ester 6:9).

Disse o rei a Hamã para que se apressasse em fazer o que havia dito e colocasse Mardoqueu nos lombos do animal e que Hamã saísse pela cidade puxando o cavalo e apregoando o que dissera.
Oh glória! A palavra de Deus se cumpre, quando diz:
“Até que ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés”. (Atos 2:35).

E assim aconteceu, Hamã teve que cumprir a ordem do rei, proclamando que Mardoqueu era um herói.

Deus trata com os inimigos de Seu povo

Mais uma vez o rei Assuero vai beber com a rainha Ester no segundo dia do banquete e diz para ela pedir o que quiser.

A rainha conta que é judia e que Hamã tem tramado com seu povo e está oprimindo leva-los à morte.

O rei fica furioso quando sabe a verdade, inclusive que Mardoqueu é seu primo e que a forca estava sendo preparada para ele.

Imediatamente manda enforcar a Hamã na própria forca que havia construído.

Assuero manda chamar a Mardoqueu e coloca em dedo o anel que pertencera a Hamã, dando lhe autoridade de parlamentar, sendo o segundo depois do rei.
Como era um decreto real e o rei não podia voltar atrás no caso da perseguição contra os judeus, foi dado lhes autorização para se defenderem dos ataques que sofreiam.
Unidos os judeus se auto-defenderam e destruíram seus inimigos no dia treze de Adar, lutando para salvar suas vidas.


Conclusão

Deus tem um plano para cada um de nós e está no controle para que possamos realizar com dedicação e harmonia o que tem colocado em nossas mãos.

O Senhor Jesus nos livra do laço do passarinheiro, capacitando para sermos mais que vencedores.

Quantas vezes o adversário tenta nos oprimir, envergonhar ou até mesmo nos afrontar, mas o Senhor exalta àquele que tem fidelidade.

Deus mudou o cativeiro de todo um povo, usando Ester e Mardoqueu, uma mulher e um homem de valor que não se dobraram aos caprichos humanos e colocaram suas próprias vidas em risco.

Deus não deixa seu povo perecer, quando homens e mulheres se predispõem a lutar com as forças celestiais e com as armaduras do Senhor.

A palavra de Deus Diz que nossa luta não é contra a carne e sangue, mas contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais (Ef 6:12).

Assim foram com muitos profetas do Senhor que não negaram seu santo nome e que o homem tentou abater, mas o Senhor deu o livramento e engrandeceu na face da terra.

Daniel, foi um escolhido do Senhor que durante sua permanência na Babilônia, fez a diferença e em todas as ocasiões que intentaram contra ele o Senhor deu o livramento.

Quando foi lançado na cova dos leões, o próprio rei Dario tinha certeza que nenhum mal lhe sucederia, pois o testemunho da Daniel era irrepreensível.

O homem de Deus deve se portar com decência onde estiver, pois ele é um representante, um ministro legal do Senhor e é observado por todos.

Durante a noite Dario jejuou e pela manhã o rei foi até à cova dos leões e lança uma pergunta a Daniel:

“E, chegando-se à cova, chamou por Daniel com voz triste; e disse o rei a Daniel: Daniel, servo do Deus vivo, dar-se-ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões”? (Daniel 6:20).

Deus enviou seu anjo e fechou a boca do leão e Daniel estava intacto para honra e glória do Senhor.

Os homens que o lançaram na cova foram jogados na mesma cova e antes de cair no chão foram estraçalhados pelos leões.

Jeremias também foi lançado numa cisterna por profetizar o que as pessoas não queriam ouvir.
Deus havia avisado que a cidade seria entregue ao rei da Babilônia e não creram, antes acharam melhor calar a voz do profeta.

“Então tomaram a Jeremias, e o lançaram na cisterna de Malquias, filho do rei, que estava no átrio da guarda; e desceram a Jeremias com cordas; mas na cisterna não havia água, senão lama; e atolou-se Jeremias na lama”. (Jeremias 38:6).

De fato aconteceu como Jeremias havia profetizado, porém ele foi salvo, pois Deus cuida dos Seus.

Mesmo que nos joguem na cova dos leões ou na cisterna cheia de lama, jamais neguemos o nome do Senhor Jesus.

Até poderão matar a carne, mas não poderão matar o espírito que é de Deus quem o deu e voltará para Ele.

Vale a pena ser discípulo do Senhor Jesus, pois o que está reservado para cada um de nós é aquilo que o olho não viu, o ouvido não ouviu e o coração nunca sentiu.

Adore a Deus. Pr. Eri Carlos