A fidelidade de José - Pr. Eri Carlos

Defendendo o Campo de Lentilhas-Pr. Eri Carlos

Senhor, mostra-me o Teu Caminho

Resgatando as Ovelhas Perdidas

Resgatando as Ovelhas Perdidas
Jesus é o Bom Pastor. O bom pastor dá sua vida pelas ovelhas, ele deixa as 99 no aprisco e busca a que se desgarrou, trazendo-a em seus ombros. Enquanto perdemos nosso tempo com coisas supérfluas, muitas ovelhas estão perdidas e cabe a nós a missão do IDE para resgatar tais ovelhas que se desgarraram do aprisco do Senhor Jesus. Há uma estatística no Brasil de que 40 milhões de evangélicos pararam na beira do caminho, isso sem contar aqueles que não tiveram um encontro real com o Senhor. Não cabe a nós julgar a razão ou os "porquês", mas precisamos fazer alguma coisa para que o adversário de nossas almas não venha a se regozijar, e que o Reino de Deus venha a ser acrescentado com o número dos que hão de se salvar. Se você está desanimado ou parou nesta caminhada gloriosa, em nome do Senhor Jesus retome sua caminhada e seja um soldado de Cristo. Lembre-se que Ele deu a própria vida na cruz do calvário por mim e por ti e ainda nos garante a salvação. Deus te abençoe! Pr. Eri Carlos

Louvores Escritos

Livretes Cristãos

Bíblia OnLine

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Rasgando o véu do Templo e vivendo em Cristo


Rasgando o véu do Templo e vivendo em Cristo

“E quando os sete dias estavam quase a terminar, os judeus da Ásia, vendo-o no templo, alvoroçaram todo o povo e lançaram mão dele, Clamando: Homens israelitas, acudi; este é o homem que por todas as partes ensina a todos contra o povo e contra a lei, e contra este lugar; e, demais disto, introduziu também no templo os gregos, e profanou este santo lugar. Porque tinham visto com ele na cidade a Trófimo de Éfeso, o qual pensavam que Paulo introduzira no templo. E alvoroçou-se toda a cidade, e houve grande concurso de povo; e, pegando Paulo, o arrastaram para fora do templo, e logo as portas se fecharam”. (Atos 21:27-30).

Um profeta de caráter

O apóstolo Paulo era judeu, foi fariseu nascido em Tarso da Cilícia, cidade portuária e também considerado um cidadão romano, onde estudou em Jerusalém sendo discípulo de Gamaliel.

Saulo era seu nome antes de ter um encontro real com o Senhor Jesus no caminho de Damasco e após se converter, Jesus passa a chamá-lo de Paulo que significa pequeno.

Sendo judeu, Paulo percorreu por diversas partes dos países estrangeiros pregando o evangelho, fazendo então muitos discípulos para Jesus.

Na ocasião estava em Jerusalém e adentrando o templo havia alguns inimigos de Paulo (judeus estrangeiros), que instigavam outros judeus dizendo que ele havia introduzido gregos no templo.

Queriam até mesmo matar a Paulo, arrastando-o para fora do templo, quando então chegou o tribuno e soldados impedindo o insensato ato.
Tribuno: significa dignitário, ou seja uma pessoa que exerce cargo elevado. (Mc 6.21).

O motivo de quererem matá-lo era porque suspeitavam que Paulo introduzira gregos no templo.

Mas qual o problema de gregos estarem no interior do templo?
Simplesmente porque era proibido entrar gentios e estrangeiros no templo, e os judeus eram considerados como povo de Deus e somente eles podiam passar. (Deuteronômio 7:6...).
Desta forma se consideravam “especiais”, mas não pela Palavra, pois o orgulho havia entrado em seus corações.

Jerusalém sendo considerada uma cidade santa e os judeus quando queriam buscar a Deus iam até o templo.
O templo era cercado por muralhas com pedras de aproximadamente duas a cinco toneladas cada.

O pátio dos gentios

Para entrar no templo tinha que passar pelos pórticos (alpendre) e antes de entrar havia um pátio chamado pátio dos gentios, ou seja, qualquer pessoa que não era judia.

Somente ficavam os estrangeiros e tinham o comércio que revoltara o Senhor Jesus quando fez a purificação no local.

“E entrou Jesus no templo de Deus, e expulsou todos os que vendiam e compravam no templo, e derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas”. (Mateus 21: 12).
Havia várias mesas naquele local e os filhos dos sacerdotes as alugavam e ganhavam sobre o faturamento.

“E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração; mas vós a tendes convertido em covil de ladrões. (Mateus 21:13).

Para os judeus o pátio dos gentios era lugar imundo e lá podiam fazer de tudo, vender compra, enfim comercializar.
O pátio dos gentios era o pátio das nações e Jesus queria que o povo judeu se conscientizasse que o referido pátio também fazia parte do templo. Também a casa do Senhor tinha que ser conhecida pelos outros povos como lugar sagrado de adoração a Deus e não lugar de comércio.

Nos átrios da casa do SENHOR, no meio de ti, ó Jerusalém. Louvai ao SENHOR. (Salmos 116:19).

Átrio: "Pátio; espaço que, nos palácios, vai desde a entrada principal à escadaria; o espaço em redor do Tabernáculo."

Enfim o pátio dos gentios era um lugar onde o vendilhão enganava as pessoas, montando suas barracas para venderem até mesmo animais para sacrifícios.

Como era difícil o povo trazer os animais de suas casas em virtude da distância, desenvolveu então esse tipo de comércio.

O comodismo dessas pessoas de não trazerem os animais de suas propriedades foi um fato detestável aos olhos de Deus.

O povo fazia os sacrifícios por mera formalidade e cumprir um dever, mas não sentia no coração a sinceridade do que estava fazendo.
Com a reação do Senhor Jesus ficou evidente que não se agradava daquela atitude comercial no lugar de adoração.
Dê atenção a Deus

É preciso ter reverência e respeito na casa do Senhor e não permitir o comércio no quintal, na porta e tão pouco algazarras e risos desordenados.
Quantos que não tem o devido zelo pelo local de adoração e saem aleatoriamente no momento do culto ao Senhor, outros atendem celulares, enquanto que alguns não vê o momento do culto terminar para efetuar suas vendas.

Jesus nos mostra que a casa de oração é local de adoração e deve ser moralizado, sendo que expulsou tanto os que vendia, como os que compravam.

Quem compra também é conivente, pois alimenta um negócio, portanto não se pode negociar no território de qualquer igreja.

“GUARDA o teu pé, quando entrares na casa de Deus; porque chegar-se para ouvir é melhor do que oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal”. (Eclesiastes 5:1).

Alguém podem até dizer que Deus não está só no templo, pois habita em nós e onde estivermos e que tal fato ocorria apenas no tempo do Antigo Testamento e dos sacrifícios de animais. Dizem ainda que o que for vendido o lucro será revertido em prol da igreja para a causa de Deus, mas esquecem que isso é comércio, além do que alguns efetuam venda para seu próprio benefício.

Motivo para matar Paulo

O pátio dos gentios era enorme, e os judeus também transitavam por lá para ir ao santuário.
Todos que queriam ir para o Santuário encontravam um muro de um metro e meio de altura que circulava todo santuário com doze portas estreitas, onde passava uma só pessoa de cada vez.

Do lado de cada porta tinha uma pedra com uma placa escrita em três idiomas, hebraico, latim e grego: “Nenhum estrangeiro pode passar a barreira e o muro que cerca o santuário, qualquer estrangeiro que for pego fazendo isso será culpado pela sua conseqüente morte”.

Qualquer estrangeiro que tentasse ultrapassar via o que estava escrito e com certeza não correia tal risco.
Esse foi o real motivo dos judeus tentarem matar Paulo, desconfiando que ele colocara gregos no templo.

Os judeus eram considerados como povo de Deus e somente eles tinham esse privilégio de adentrar o templo. (Dt 7:6...).


O trajeto para o templo
                                                  
     Os judeus passavam pelo muro e subiam uma escadaria de três metros e meio e se algum estrangeiro tentasse fazer o mesmo, correria risco de morte, pois eram lançados escada abaixo. Gentios e estrangeiros não tinham direito de estar no templo, assim como nós, mas pelo amor do Senhor Jesus não há mais judeus, gregos e nem gentios, mas um só povo eleito. Aleluia!

     Quando os judeus e as judias subiam as escadarias de três metro e meio, chegavam a outro pátio conhecido como pátio das mulheres.
     Esse pátio era reservado para as mulheres que não podiam em hipótese alguma ir mais para frente.
     Também ficava as arcas do tesouro (lugar do tesouro) e tinham treze arcas onde se colocava as ofertas.
     Foi neste pátio que Jesus viu a mulher colocar as duas moedas.
     “E viu também uma pobre viúva lançar ali duas pequenas moedas”. (Lucas 21: 2).

     A visão dos judeus a respeito das mulheres era muito difusa e eram excluídas da adoração conjunta.
     A mulher judia não tinha poder de decisão em seu casamento, pois era o pai que decidia com quem ela devia se casar.
     As mulheres eram considerados inferiores e devia ser vista o menos possível em público e até mesmo era advertido os jovens de não falar com mulher em público.
     Eram comparadas como propriedades igual aos escravos e os animais e jamais podia ser herdeira de propriedades.

     Os judeus diariamente e orgulhosamente oravam em ação de graça, mostrando a pouco estima para a mulher:
     Louvado seja Deus, que não me criou gentil;
     Louvado seja Deus, que não me criou mulher;
     Louvado seja Deus, que não me criou homem ignorante.
    
     Desta mesma fora a cultura não era diferente para os outros povos nos primeiros séculos, considerada inferior e de segunda categoria.

     Mas a visão de Deus para com a mulher é muito diferente do ponto de vista do homem.
     Em sua vida terrena de Jesus Cristo era a expressão de Deus em pessoa e seu ponto de vista de acordo com Suas próprias palavras era diferente dos da época.

     Deus escolhe uma mulher para trazer Seu Filho a este mundo e antes que a vida Deus fosse colocada em outro ser humano, primeiramente foi colocada dentro de uma mulher. É preciso reconhecer que o Senhor não faz acepção de pessoas.
    
     Quantas mulheres foram ajudadora e exemplos nos momentos mais difíceis da vida do Senhor Jesus nesta terra e elas nunca o abandonaram e jamais Jesus se envergonhou delas.

     Os pátios restritos
    
     Tão logo passasse o pátio das mulheres, tinham uma outra escada de três metros e meio, sendo que esta escada dava acesso ao local designado e restrito somente aos homens.

     As mulheres se entristeciam por não poderem estar com juntas até mesmo com seus esposos, mas tinham que se conformar em ficar no pátio reservado a elas.

     Os homens diziam “Louvado seja Deus por ter nascido homem”!
     Esse pátio era desconhecido como pátio de Israel, o qual era restrito apenas aos homens judeus.

     No fundo do pátio de Israel tinha outra escadaria de um metro de altura que dava acesso a outro compartimento.
     Nesse compartimento ficava o local designado apenas aos sacerdotes e os demais não podiam ter acesso a este local.

     Agora os homens ficavam tristes por não poderem ultrapassar suas limitações e confinamentos, porém os sacerdotes se alegravam por poder ver o santuário onde ficava o lugar santo e o lugar santíssimo.
     Os sacerdotes podiam chegar apenas ao lugar santo e também não era todo dia que tinham aceso. Apenas um ou outro podia ir neste lugar onde ficava a mesa da proposição com os doze pães, o candelabro com as sete lâmpadas e no fundo uma grossa cortina (véu) que separava do lugar santíssimo.

     Estando os sacerdotes no lugar santo, queriam ir até o lugar santíssimo, porém também havia mais uma restrição, ou seja, apenas o sumo sacerdote poderia adentrar no lugar santo dos santos.
     De acordo com a Lei Mosaica o sumo sacerdote poderia entrar apenas uma vez por ano no lugar santíssimo para fazer expiação pelos pecados do pov.
    
     Entrar no lugar santíssimo era difícil demais e alguns jamais conseguiria em toda sua vida.
                                                  
     A religiosidade havia tomado conta do povo judeu e os sacerdotes acrescentavam preceitos humanos e fardos pesados demais para o povo.
     No época do Antigo testamento a acepção de pessoas era muito grande e havia separação para tudo.
    
     A religiosidade coloca barreira e fardos pesados demais para o homem suportar.

“Jesus disse: “Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”. (Mateus 11:30)

    
     Conclusão

     As manifestações do poder de Deus
    
     O poder de Deus foi manifestado em relação a toda humanidade, sem distinção, envolvendo três classes, (Efésios 2:11-2):
     1ª – Quanto aos gentios – (Ef 2:11-13). Para Israel eram estrangeiros, mas agora estão próximos pelo sangue de Cristo;

     2ª – Quanto aos judeus – (Ef 2:14-17). Entre o judeu e o gentio existia uma linha de demarcação muito rígida com respeito à religião. A situação mencionada no estudo com relação ao templo de Jerusalém e a divisão do pátio dos gentios. Estavam separados do “pátio de Israel” por uma parede (V. 14), inclusive com os avisos taxativos de pena de morte se ultrapassassem.

     “Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio”.  

     No templo espiritual de Deus não há mais a “faixa de gaza”, ou seja, uma linha de separação, todos tanto judeu, quanto a gentios, tem aceso ao Pai pelo mesmo Espírito.
    
     3ª – A Igreja de Deus – (V-19-22).  A adoração dos gentios era nos seu templo cheio de ídolos, e o judeu no grande santuário de Jerusalém.
     Com o sacrifício do Senhor Jesus na cruz do calvário tudo isso caiu por terra e foram deixados os templos feitos por mãos de homens para um grande Templo Espiritual, cuja pedra angular é o Senhor Jesus Cristo.
     O fundamento da igreja é formado pelos apóstolos e profetas e cujas pedras são os cristãos individuais.

“E o muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro”. (Apocalipse 21:14)
     O conjunto forma um grande templo habitado por Deus, através do espírito Santo.

     Quantos ainda vivem numa religiosidade e cheias de obstáculos para se salvarem

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus”. (Efésios 2: 8)


     Hoje vivemos na graça do Senhor Jesus e não precisamos mais enfrentar barreiras para comunicar com o Senhor, pois quando Jesus estava na cruz e deu o brado que estava tudo consumado, rasgou-se o véu do templo.

     “E o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo” (Marcos 15:38).

     Não há mais necessidade de interventores e mediadores para falar com Deus, pois Cristo é o nosso único mediador. (I Timóteo 2:).

     Só precisamos viver em Cristo, pois desta forma Cristo vive em nós e estaremos salvos se obedecermos a seus mandamentos.
    
“Já estou crucificado com Cristo; e vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim”. (Gálatas 2:20)

Deus abençoe!

Zaqueu, um homem escolhido.


Zaqueu, um homem escolhido.

Lucas 19...


     Depois de Jesus já ter passado por diversas regiões, atravessou Samaria, contando parábolas edificantes, expulsando a demônios e curando enfermos dos diversos tipos de doenças e inclusive confundindo os fariseus por realizar seus milagres no sábado, por exemplo: a cura do homem da mão mirrada (marcos 3:1-6); a cura de uma mulher paralítica (Lucas 13:10-17); a cura dum hidrópico (Lucas 14;1-6).
    
     Os fariseus com seus inúmeros preceitos, diziam que guardavam o sábado de acordo com a Lei, mas estavam prontos para matar alguém que ajudasse seu próximo nesse dia.

     A cidade de Jericó estava para ter sua história acrescida e conhecida no mundo pelo fato inédito que estava prestes a acontecer.

     Jesus estava adentrando na cidade de Jericó acompanhado por uma grande multidão, quando um cidadão de nome Zaqueu, o publicano, resolveu também ir vê-lo.

     Zaqueu

     Zaqueu era o chefe dos publicanos, ou seja, chefe dos cobradores de impostos do odiado império romano.
     Esses homens eram judeus que aliados ao sistema romano cobravam impostos de seus irmãos judeus, em virtude disso eram “personas non gratas” (pessoas não gratas, não eram benquistas).
    
Muitos dos publicanos enriqueciam ilicitamente, através quem sabe do dinheiro arrecadado de seus irmãos.
Na verdade não tinham a simpatia do povo judeu e eram considerados como traidores de seu povo por terem se bandeado para o lado dos romanos.

Zaqueu se prepara para ver a Jesus, quem sabe por curiosidade por ter ouvido falar dos feitos e milagres ou por algum sentimento que algo iria acontecer, porém o importante era ver Jesus a qualquer preço.

A Bíblia relata que Zaqueu era de pequena estatura e a multidão rodeava a Jesus impossibilitando de enxergá-lo.
Zaqueu tenta de todas as formas quebrar o bloqueio da multidão para se aproximar de Jesus, empurrando, pedindo licença, mas não consegue obter êxito.
De repente Zaqueu olha e vê um pé de sicômoro (uma espécie de pé de figos) e encontra a maneira de observar a Jesus. Zaqueu sobe na árvore e fica entre as folhas contemplando o momento que Jesus iria passar por baixo, onde ele estava.
Diante dessa cena, poderia até ser cômica se alguém visse um cidadão como ele bem cima de uma árvore, mas algo inesperado estava para acontecer.

A inesperada surpresa
         
     Jesus vem caminhando entre a multidão e de repente olha para onde está Zaqueu escondido e para surpresa de todos diz: “Zaqueu, desce depressa, porque hoje, me convém pousar em tua casa” (V.5b).
    
Creio que naquele momento ninguém tinha visto a Zaqueu, mas o mestre o enxergou entre as folhas e agora Zaqueu fora descoberto.
O que será que passou por sua cabeça naquele momento quando Jesus lhe diz essas palavras? E a multidão com essa atitude de Jesus, como reagiu? Afinal Zaqueu era considerado um pecador e da pior espécie.
Quem sabe a princípio deu um calafrio na espinha de Zaqueu e agora ele pensa “Fui descoberto, e agora?”.
Todos olham para ele e pode-se ouvir o zunido de uma mosca, pois o silêncio é total.
Mas para espanto de todos, Zaqueu toma uma decisão e desce rapidamente para encontrar com Jesus. Quem sabe se arranhou todo na decida e até mesmo levou um belo de um tombo.
Os fariseus murmuravam dizendo que Jesus iria à casa de um pecador. Talvez pensassem que Jesus iria se alojar na casa de um sacerdote e jamais na casa de um pecador, ainda mais um traidor cobrador de impostos. Como estavam enganados!
Jesus diz a Zaqueu para se levantar, recebendo-o com alegria e naquele momento aquele homem pode contemplar a compaixão e misericórdia do Senhor Jesus.
Ali mesmo ele fez uma confissão genuína de seu pecado, dizendo que se tivesse defraudado alguém na cobrança dos impostos, daria quadruplicado quem se sentisse prejudicado.
Jesus diz que naquele dia chegara à salvação na casa de Zaqueu, pois não faz acepção de pessoas.
O mestre sem se preocupar com o que a multidão iria pensar diz ainda que viesse buscar e Salvar o que havia perdido.

Pecadores rejeitados

     Neste relato bíblico fica nitidamente esclarecido que todos os homens são pecadores, independente de ser pobre ou rico.

“Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer”. (Romanos 3:10).

     Em algumas passagens o pecador é simbolizado por um homem pobre, maltrapilho, assim como no caso do filho pródigo que voltou ao lar paternal mal vestido e até cheirando a porcos. Também o relato de Bartimeu, sendo cego de nascença, clamando por Jesus para que tivesse misericórdia dele ou até mesmo o caso da mulher adúltera que sendo arrastada por seus algozes que queriam apedrejá-la foi perdoada por Jesus.
    
Noutras ocasiões o pecado era simbolizado por pessoas ricas, como no caso específico de Naamã; um homem afortunado, cheio de honrarias, excelente comandante do exército da Síria, porém trazia por baixo das vestes a lepra que o consumia a todo instante.

     Zaqueu tinha esse perfil, homem rico, com roupas elegantes com o poder em suas mãos, mas creio que lhe faltava algo para preencher aquele vazio, ou seja, a paz de espírito por ser rejeitado pela própria sociedade.

     Cada qual com seu pecado que para muitos ficam em oculto, quem sabe até por baixo de suas vestes e se sentem desprezados.

     Para a sociedade os dois grupos de ricos e pobres podem ter seu valor relevante, mas não para os olhos de Deus que os vê iguais e está de braços abertos para acolhê-los.

     Jesus também foi rejeitado pelo próprio povo Judeu, sendo ele o messias esperado eles não o aceitaram.

     “Veio para o que era seu, e os seus não o receberam”. (João 1: 11).

     Quando o pecador reconhece seu pecado e os confessa de todo coração ao Senhor Jesus, com certeza é perdoado e fica cheio de alegria e regozijo em seu coração.


     Um homem escolhido

     Muitos tentaram dificultar a aproximação de Zaqueu até Jesus e mesmo sendo rejeitado pela multidão e quem sabe sentindo o mais vil pecador encontrou a árvore para pelo menos ver a Jesus.
     Enganava-se Zaqueu que apenas iria ver o mestre, mas também teria a honra de hospedá-lo em sua casa.
     Zaqueu poderia ter pensado que estaria escondido em cima do pé de figueira e ninguém o veria. Que grande engano, pois o Senhor é o que tudo vê e tudo pode, buscando com amor o mais viu pecador.
     O Senhor não quer que ninguém fique de fora ou escondido, sendo que a obra redendora é para todos que o aceitarem de todo coração.
     Não devemos seguir Jesus de longe, pois ser cristãos é ter vida plena com Jesus e ter esse amigo verdadeiro para todos os momentos.

“Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo”. (Apocalipse 3:20).

     Centenas de pessoas queriam ficar perto de Jesus, mas agora Zaqueu, o cobrador de impostos tem um particular com o Senhor.
     Quantos Zaqueus tem tido esse encontro com o Senhor, sendo que para muitos tinham pecados demais.
     O sangue do Senhor Jesus nos purifica de todo pecado e são justificados perante Deus.
     Jesus te conhece, sabe tudo a seu respeito, seus gostos, suas aflições, sua solidão, seu nome e quer ser seu melhor amigo de todas as horas.

     Não importa o que você fez o que importa é você e é por mim e por você que Jesus veio ao mundo e pagou nossas dívidas no duro madeiro da cruz.

     Zaqueu confessou seus pecados e Jesus quer sinceridade, confesse os seus também e verás a transformação em sua vida.
     Não se preocupe com a multidão, Jesus escolheu você e nada pode mudar a trajetória a não ser você mesmo.

     Jesus trouxe a felicidade a Zaqueu, pois no início era desprezado, rejeitado, mas agora Jesus caminha junto em direção à sua casa.

 “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. (Mateus 11:28).

     A esperança renasceu na vida de um homem, trocando sua tristeza pela graça e o perdão, sendo o melhor dia de sua vida, ou seja, o dia da vitória.
     Chegou à hora de descer e sair do anonimato, conhecer verdadeiramente a Jesus e ser conhecido por todos como escolhido do Senhor.

     Desça, Jesus te chama, Jesus te ama e quer ter fazer um vencedor!


quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Senhor, Julga a minha causa



Senhor, Julga a minha causa

“Então, vieram duas mulheres prostitutas ao rei e se puseram perante ele. E disse-lhe uma das mulheres: Ah! Senhor meu, eu e esta mulher moramos numa casa; e tive um filho, morando com ela naquela casa. E sucedeu que, ao terceiro dia depois do meu parto, também esta mulher teve um filho; estávamos juntas, estranho nenhum, estava conosco na casa, senão nós ambas naquela casa. E de noite morreu o filho desta mulher, porquanto se deitara sobre ele. E levantou-se à meia-noite, e me tirou a meu filho do meu lado, dormindo a tua serva, e o deitou no seu seio, e a seu filho morto deitou no meu seio. E, levantando-me eu pela manhã, para dar de mamar a meu filho, eis que estava morto; mas, atentando pela manhã para ele, eis que não era filho que eu havia tido. Então, disse a outra mulher. Não, mas o vivo é meu filho, e teu filho, o morto. Porém esta disse: Não, por certo, o morto é teu filho, e meu filho, o vivo. Assim falaram perante o rei. Então, disse o rei: Esta diz: Este que vive é meu filho, e teu filho, o morto; e esta outra diz: Não, por certo; o morto é teu filho, e meu filho , o vivo. Disse mais o rei: Trazei-me uma espada. E trouxeram uma espada diante do rei. E disse o rei: Dividi em duas partes o menino vivo: e daí metade a uma e metade a outra. Mas a mulher cujo filho era o vivo falou ao rei (porque o seu coração se lhe enterneceu por seu filho) e disse: Ah! Senhor meu, daí-lhe o menino vivo e por modo nenhum o matais. Porém a outra dizia: Nem teu nem meu seja; dividi-o antes. Então, respondeu o rei e disse: Daí a esta o menino vivo e de maneira nenhuma o matais, porque esta é sua mãe. E todo o Israel ouviu a sentença que dera o rei e temeu ao rei, porque viram que havia nele a sabedoria de Deus, para fazer justiça”.( I Reis 3.16-28).

Introdução

As duas mulheres tinham algo em comum conviviam juntas e praticavam os mesmos atos, eram prostitutas.
Quando uma delas percebe que perdeu seu filho por ter deitado sobre ele,  procurou uma solução imediata para seus problemas não levando em conta as graves consequências.
Quem sabe agora ela pensa que tudo estava acabado não aceitando a morte, seus sonhos, seus projetos,  e, de repente vê uma esperança de realiza-los através da criança da amiga.
Ela age por emoção e não pela razão substituindo a criança morta pela que viva, afinal esperou uma gestação para ter alguém por perto de si e dar o seu amor, pois até o momento eram várias pessoas que apenas passavam pela sua vida.
A mulher não pensou no sofrimento alheio, na tristeza e na dor que causaria a outra mãe, ela agiu com egocentrismo.
Quando agimos precipitadamente, pensando em nós mesmos, sem a direção do Senhor, poderemos causar grandes problemas para nosso semelhante.

Deus deu sabedoria à Salomão para julgar essa causa de uma maneira perspicaz, mas para isso ele havia buscado anteriormente à Deus.
No Capítulo 3:3 diz que Salomão amava ao Senhor e sacrificava no altar. Deus aparece a ele e diz para pedir o que quisesse. Na ocasião ele não pediu ouro, prata ou poder para destruir seus inimigos, porém pediu sabedoria para governar e julgar o povo de Israel.
Deus se agradou do pedido e acrescentou-lhe riquezas e glórias e se Salomão andasse nos caminho do Senhor acrescentaria seus nos de vida (Cap.3:14).
"Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas."  (Mateus 6 : 33).

O julgamento

Quando as duas mulheres se dirigiram até o rei Salomão contando as versões dos fatos, sabiamente ele julgou a causa, pois a mãe verdadeira jamais queria ver seu filho dividido ao meio.
Desta forma é na vida espiritual, Deus não quer perder um de seus filhos para o adversário de nossas almas.
O Senhor nosso Deus teve compaixão da humanidade que está destituída da glória de Deus em virtude do pecado e pelo seu grande amor ofereceu seu próprio Filho Jesus Cristo para remissão dos pecados.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. (Jo 3:16).

O amor de Deus em Cristo excede todo o entendimento. A Bíblia declara que Deus é amor e fonte dos conhecimentos perfeitos. Acima de sua vida está também o bem de outra vida.

A mãe verdadeira dava valor à vida a outra pouco importava. Quantos abortos são realizados diariamente em nosso país, onde está o amor pela vida?
Devemos fazer o que é correto, amar a Deus sobre todas as coisas e nosso próximo como a nós mesmo.
A mentira

A mentira é uma característica do mal e causa consequências gravíssimas, podendo colocar em risco até mesmo a vida de terceiros, no caso citado, como também no caso de Acã que subtraiu para si objetos de Jericó que não eram permitidos (Js 7:11) e muitos padeceram pela sua desobediência.

Satanás utilizou astutamente da mentira para induzir o homem à queda, pecando e transgredindo os preceitos de Deus.

Em nossos dias muitos estão vivendo uma vida de mentira, servindo a Deus pela metade. Dizem ser cristãos, mas não vivem o verdadeiro evangelho de Cristo, trazendo para o seio do povo de Deus o anátema (maldições), misturas de paganismo, mundanismo e idolatrias.
As consequências são graves, pois não há crescimento espiritual, não há um culto verdadeiramente ao Senhor Deus e muitos não suportam as provas, não conseguem conquistar as promessas do Senhor e até mesmo abandonam o Evangelho do Senhor Jesus que conduz à vida eterna.

Satanás tem incutido em muitas mentes que para servir a Deus não precisa renunciar ao pecado, vindo como estás e ficando como eras.
Em consequência das mentiras não tem mudança de vida, ficando na mesmice e sem rumo.

A mentira é um pecado que entristece muito o Espírito Santo de Deus, seja ela interpretada como apenas uma “mentirinha”, por exemplo; “Diga que não estou em casa”; “há, isso não tem problema e não tem importância”,  “ninguém está vendo”, “não pude fazer os trabalhos de casa porque faltou à luz “, “estava doente e não pude ir ao trabalho”, etc.
Quantos que tem feito votos ao Senhor, porém votos de tolos, não cumprindo o que se tem prometido.

"Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte."  (Apocalipse 21 : 8)

Abandonemos a mentira e vivamos a Verdade em Cristo Jesus, assim encontraremos na cidade Santa e prometida aqueles que forem firmes e fiéis até o fim.
“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”.
Quem realmente ama a Jesus conhece a Verdade e está liberto das correntes do deus cruel do presente século. Jesus é a Verdade e a Vida  e disse: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;"  (João 11: 25).

A Inveja

De acordo com o dicionário Aurélio a inveja é o Desejo violento de possuir o bem alheio.
A mulher não admitia a perda de seu filho, mas também não admitia que a outra mulher pudesse ser feliz com o filho. Ela não queria enfrentar a realidade da perda.
No mundo quando alguém perde algo ou um ente querido, faz perguntas à Deus sobre os “porquês”, porque foi ele(a) e não eu?  Porque aconteceu isso? Culpa a Deus pelos suas próprias inconsequências, mas não abandonam seus maus caminhos.
O verdadeiro cristão sabe que tudo o que não agrada a Deus tem suas consequências, mas quando alguém se predispõe a servi-lo em espirito e em verdade a história da derrota muda para ser mais que vencedor.

A inveja é pior que o ódio... A inveja acaba com a reputação, provoca homicídios, abala o círculo de amizades, arruína negócios, faz adoecer a alma... 

Ilustração

Era uma vez uma cobra que perseguia um voga-lume.., tudo o que o vaga- lume mais fazia era simplesmente brilhar.., e com a perseguição, ele fugia rápido com medo da cobra, que não brilhava e nem pensava em desistir. O vaga-lume fugiu um dia, dois dias, mais outro, até que parou e disse para a cobra: “Posso te fazer três perguntas?” A cobra respondeu: “Não costumo abrir esse precedente para ninguém, mas como vou te devorar mesmo, pode perguntar”. E perguntou o vaga-lume: “Eu pertenço à sua cadeia alimentar?            
- Não. Eu te fiz alguma coisa? - Não... então, por quê você me persegue?” E a cobra respondeu: - Porque eu NÃO suporto ver o seu brilho...    

Todas as pessoas invejosas são como a cobra dessa história: elas acham de perseguir aqueles que estão brilhando, mas elas mesmas não estão ganhando nada com isso. 

Na carta aos Gálatas 5.26, inspirado por Deus, o apóstolo Paulo aconselha: “Nós não devemos ser orgulhosos, nem provocar ninguém, nem ter inveja uns dos outros”. E em outra parte da Bíblia, está escrito (Tg 3.1 6): “Pois, onde há inveja e egoísmo, há também confusão e todo tipo de coisas más”.           

A inveja é pecado e só traz confusão e todo tipo de coisas más! 

Conclusão

               Salomão agiu com sabedoria e justiça desvendando o mistério e devolvendo o filho à mãe verdadeira, enquanto a outra tentava tirar.
Quantas vezes o adversário tenta tirar o que mais amamos, ou seja,  uma boa convivência, a paz, um bom trabalho até mesmo a alegria de servir a Deus, mas em nome do Senhor Jesus decrete agora a sua vitória, pois Deus quer dar o melhor para cada um de nós.
Trocar a criança é querer roubar os sonhos dos outros. Olhar para os olhos de um filho sem vida é perder as esperanças, perder o direito de sonhar, de ser feliz.
Deus muda a história, basta crermos e ele julgará a sua causa como juiz dos juízes e com certeza dará causa ganha.

"Viste, SENHOR, a injustiça que me fizeram; julga a minha causa."  (Lamentações 3 : 59).

Salomão julgou como rei a causa das duas mulheres. Deus julga sua causa como Pai amoroso e compreensivo. Salomão era apenas um homem, Jesus Cristo, o advogado fiel, toma sua causa que parece impossível e apresenta ao Pai que bate o martelo, dando-lhe causa ganha.
Aprenda a confiar e descansar no Senhor, lembra do cego de Jericó (Lc 18:35...? “Jesus Filho de Davi, tem misericórdia de mim”. Jesus disse: “Que queres que te faça”? o cego queria ver e pela fé imediatamente enxergou, e seguiu-o, glorificando a Deus. E todo o povo, vendo isto, dava louvores a Deus.

Deus usou Salomão para praticar a justiça com a mãe verdadeira, devolvendo-lhe o que era de direito.

Se crermos na justiça do Senhor, tudo que o adversário roubou será restituído, lembra de Jó?

"Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção;"  (I Coríntios 1 : 30)

Pr. Eri Carlos

Os quatro cavaleiros


Os quatro Cavaleiros - Apocalipse 6-

       Os quatro cavaleiros - Na exegese (interpretação profunda de texto bíblico) são símbolos de espíritos demoníacos.
·     -Quatro principados que saíram do abismo para atormentar;
·       Antes estudiosos pensavam que o Cavalo Branco era Jesus, mas como os outros três não são pessoas, conclui-se então que todos são espíritos de demônios.

            O 1º cavaleiro – Cavalo Branco - representa o espírito do anticristo, pois já está trabalhando na terra e em vários setores, como por exemplo:
·     Na política, onde leis são sancionadas e já estão em vigor influenciando a depravação e a imoralidade de uma nação (aborto; prostituição; homossexualidade; lesbianismo, etc);
·     Nos meios de comunicação, a famigerada “liberdade de expressão”, sendo que muitos programas são obscenos e tem entrado nos lares influenciado a destruição das famílias com cenas de pornografias, de imoralidade e de lascívia, ensinando a traição e as decadência moral.
·     Nas Igrejas, muitas estão apostatando da fé, mudando seus hábitos, seus costumes, não guardando mais a São doutrina a doce Palavra de Deus.

Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição” II Ts 2:3);

Assim como é pelo ouvido que ouvimos e cremos na Palavra de Deus, também é pelo ouvido que se apostata.

Apostatar: é negar o que viveu ontem. É o Crente mundano, fascinados pelo futebol, bebida, cigarro, linguagem do mundo(não fala a linguagem de Deus), aquele que bate na esposa, mal testemunho não paga as dívidas, etc.
Evangelho diferente é apóstata!
         
          "Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;"  (II Timóteo 4 : 3);

          Nas igrejas, muitas  pessoas já não tem mais o prazer de ouvir a verdadeira Palavra de Deus, de meditar de orar e buscar ao Senhor de todo coração.
          Muitos estão esfriando na fé não tem mais tempo para Deus, andam ocupados com as coisas desta vida, outros ficam horas e horas em frente de um Televisão, internet, locadoras, etc.
          O cristão não copia as coisas do mundo, pois o crente verdadeiro tem comunhão com Deus.
          A linguagem do cristão é irrepreensível, estando triste ou alegre, desprezado ou enaltecido, são ou enfermo, no aperto ou na bonança, tudo é motivo para glorificar à Deus

          O salmista diz: " BEM-AVENTURADO o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite."  (Salmos 1 : 2).

       Os incrédulos dizem que a Bíblia foi feita por homens e não dão valor. Realmente foram escritos por homens, mas não eram homens comuns e sim homens de Deus inspirados pelo Espírito Santo.

          O crente apostata da fé quando para de orar, de ler a Bíblia de Jejuar e ter uma vida consagrada na presença do Senhor
‘        
          Precisamos ser mais gratos ao nosso Deus e aprender a amá-lo de espírito corpo e alma.
          Devemos voltar a origem da santidade, Deus quer levantar homens de compromisso. Pode até o mundo entrar nas igrejas, mas não deixe entrar na sua vida.


O segundo Cavaleiro – Cavalo Vermelho – é o que tira a paz da terra com as guerras, mortes, destruições e violências.
Quantos países estão vivendo em constante guerras, onde milhares de dólares são investidos em armamento bélico e de destruição em massa . Outros também investem valores exorbitantes numa suposta paz, mas a violência não para, pois verdadeira paz só é encontrada em Cristo Jesus.
              
               "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize."  (João 14 : 27).

       Todos os dias os jornais e meios de comunicação estão estampados de tragédias por todo país. Pai matando filho e vice versa, drogas, Roubos seguidos de morte, sangue nas madrugadas, acidentes automobilísticos, aéreos, etc.
         
          Nada aqui na terra pode parar o segundo cavaleiro, somente um que tem poder para conter a ação contrária deste cavaleiro: o SENHOR Jesus Cristo.
          O terceiro Cavaleiro – Cavalo Preto – representa a miséria, o desemprego e a fome a preguiça na face da terra.
          Quantas pessoas estão vivendo em condições sub-humanas, sem ter um teto, um bom emprego e passando fome. A maioria destas pessoas vivem nestas condições por serem idólatras, vivem na prática da feitiçaria ou bruxaria e/ou ainda não tiveram a oportunidade de conhecer a Palavra de Deus que verdadeiramente liberta e conduz à vida eterna. Cabe a nós cristãos cumprir o IDE do Senhor Jesus.
          Até mesmo alguns cristãos passam por situações constrangedoras por não serem fiéis à Deus, gastando naquilo que não é pão e para seus próprios deleites.
         
               "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará."  (João 8 : 32)

Que o cavaleiro do cavalo preto caia do cavalo, seja fiel em tudo ao Senhor seu Deus, reconheça o sacrifício vicário do Senhor Jesus e viva o que está escrito na Palavra de Deus.
              
               "Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão."  (Salmos 37 : 25)

          O quarto Cavaleiro – Cavalo Amarelo – representa  as pestes e doenças incuráveis. Muitas destas doenças são consequência dos atos imorais do homem pervertido que adquiriu através dos tempos deixando seus costumes naturais.
          De uns anos pra cá a AIDS, o câncer tem se alastrado de forma alarmante e vidas tem perecido a cada dia, indo de encontro com a morte.
          A  cada ano aparece uma nova doença; gripe do franco; gripe suína, enfim tudo isso é cumprimento das profecias. Precisamos estar atentos para não cair no engodo de satanás que é o príncipe deste mundo e veio para matar, roubar e destruir. Porém há uma saída para tudo isso é Jesus Cristo que veio para dar vida e vida em abundância.
       
        Jesus diz: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. (Mateus 11:28)

       Deus abençoe – Pr. Eri Carlos