A fidelidade de José - Pr. Eri Carlos

Defendendo o Campo de Lentilhas-Pr. Eri Carlos

Senhor, mostra-me o Teu Caminho

Resgatando as Ovelhas Perdidas

Resgatando as Ovelhas Perdidas
Jesus é o Bom Pastor. O bom pastor dá sua vida pelas ovelhas, ele deixa as 99 no aprisco e busca a que se desgarrou, trazendo-a em seus ombros. Enquanto perdemos nosso tempo com coisas supérfluas, muitas ovelhas estão perdidas e cabe a nós a missão do IDE para resgatar tais ovelhas que se desgarraram do aprisco do Senhor Jesus. Há uma estatística no Brasil de que 40 milhões de evangélicos pararam na beira do caminho, isso sem contar aqueles que não tiveram um encontro real com o Senhor. Não cabe a nós julgar a razão ou os "porquês", mas precisamos fazer alguma coisa para que o adversário de nossas almas não venha a se regozijar, e que o Reino de Deus venha a ser acrescentado com o número dos que hão de se salvar. Se você está desanimado ou parou nesta caminhada gloriosa, em nome do Senhor Jesus retome sua caminhada e seja um soldado de Cristo. Lembre-se que Ele deu a própria vida na cruz do calvário por mim e por ti e ainda nos garante a salvação. Deus te abençoe! Pr. Eri Carlos

Louvores Escritos

Livretes Cristãos

Bíblia OnLine

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Deus faz o impossível tornar possível


Deus faz o impossível tornar possível

“E o sol se deteve, e a lua parou, até que o povo se vingou de seus inimigos. Isto não está escrito no livro de Jasher? O sol, pois, se deteve no meio do céu, e não se apressou a pôr-se, quase um dia inteiro. E não houve dia semelhante a este, nem antes nem depois dele, ouvindo o SENHOR assim a voz de um homem; porque o SENHOR pelejava por Israel”. (Josué 10:13;14).

       Vivendo e vendo o impossível

Deus escolheu e preparou Moisés para uma missão nobre e específica de tirar o povo hebreu que se encontravam cativos nas mãos do faraó no Egito.
Depois do Senhor mostrar seu poder o povo é retirado dos domínios do faraó e seguem a Moisés para uma terra prometida por Deus.
Moisés passou muitas dificuldades e provas com o povo, mas não perdia a fé, nem a esperança de cumprir a meta estabelecida.
Logo que saíram o mar se abriu para o povo passar a seco, deixando seus rastros no fundo do mar (parece impossível, mas para Deus tudo é possível), viram o maná cair do céu, viram sair água da rocha, e, não satisfeitos com o maná pediram carne e Deus atendeu ao pedido, mandando vir codornizes das bandas do mar.

 “E o SENHOR ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo para os iluminar, para que caminhassem de dia e de noite”. (Êxodo 13: 21)
O povo via a glória e o poder de Deus ser manifestada junto deles, e, mesmo assim murmuravam, outras vezes queriam retornar ao Egito, porém Moisés mantinha-se firme no propósito diante do Senhor.
Quando Deus nos orienta para fazermos algo, passe o que passar, mas o Senhor estará à frente nos dando as coordenadas para cumprirmos com êxito a missão que nos foi confiada.

Após muitas lutas com o povo, Moisés está preste a cumprir sua missão e chegando a Cades-Barnéia, manda 12 espias observar a Terra Prometida (Deuteronômio 1...).
Quando voltaram trazendo o relatório da nova terra, dez dos espias falaram que a terra era muito boa, porém havia homens gigantes que seria impossível conquista-la.
Dentre os espias estavam Josué e Caleb que afirmaram com toda fé e confiança em Deus que com sua ajuda tudo seria possível e que o Senhor daria os inimigos em suas mãos.
O povo incrédulo começou a murmurar, preferindo voltar ao Egito a enfrentar os possíveis inimigos, inclusive ameaçando de apedrejar a Josué e Caleb. (Números 14:10).

Deus ficou indignado com a incredulidade e rebeldia do povo israelita e falou a Moisés que os feririam com pestilências e dando as honras a Moisés.
Neste momento Moisés intercede pelo povo para que Deus tenha misericórdia, perdoando-os e isentando-os de tal castigo.
Moisés cita ainda o que o povo do Egito iria dizer sabendo que tirara o povo do cativeiro para os matar e desta forma roga a Deus: “O SENHOR é longânime, e grande em misericórdia, que perdoa a iniqüidade e a transgressão, que o culpado não tem por inocente, e visita a iniqüidade dos pais sobre os filhos até à terceira e quarta geração. Perdoa, pois, a iniqüidade deste povo, segundo a grandeza da tua misericórdia; e como também perdoaste a este povo desde a terra do Egito até aqui.(Números 14:18-19.
      
Deus ouviu o pedido e disse que conforme a Palavra de Moisés perdoaria o povo, mas ficariam peregrinando pelo deserto num período de 40 anos.
Disse ainda que àqueles dez homens que provocaram sua ira não entraria na terra prometida e seus ossos ficariam ressequidos pelo sol escaldante do deserto, mas Josué e Caleb que não perderam a confiança estariam isentos e gozariam das promessas do Senhor.
 Moisés é um exemplo clássico de um homem dedicado ao Senhor, se preocupando mais com a reputação de Deus do que de seu próprio sucesso e honra.
Devemos sempre tomar o devido cuidado para não provocar a ira do nosso Senhor, sendo fiéis e perseverantes para que suas promessas sejam cumpridas e jamais deixar certas brechas.

Brechas: dar lugar para o inimigo

Brecha da Murmuração

Durante a peregrinação o povo israelita murmurou contra Moisés querendo água (Ex 17:3), e assim também esse mal da murmuração tem assolado o povo de Deus, impedindo de permanecer com o vaso cheio do azeite.
Azeite – presença do Espírito Santo de Deus.

Em II Reis 4.1-7, podemos ver a viúva que tinha um pouquinho de azeite, e Deus usou seu servo Eliseu para multiplicá-lo, dando condições de sobrevivência e ainda pagar suas dívidas.
Mesmo que tenhamos apenas um pouquinho de azeite, mas temos a confiança no grande Deus que servimos o qual nos enche e supre todas as necessidades.

Muitas vezes em virtude das lutas, provas e circunstâncias, aparentemente o azeite está no final, porém quando menos esperamos o Senhor envia alguém ou até mesmo cuida para que seu servo não venha a perecer, enchendo-o e reanimando e fortalecendo-o para enfrentar toda espécie de crise.

Brecha do Sono


Fato que podemos constatar em Juizes 14 onde Sansão acabou dormindo em território inimigo, desperdiçando seu azeite, deixando vazá-lo e ainda sendo ridicularizado e zombado pelo inimigo.

Êutico estava na janela e dormiu, enquanto Paulo pregava, caindo e quebrando seu pescoço, mas pela infinita misericórdia do Senhor, foi restabelecido e viveu. (Atos 20:9);

A Palavra de Deus está sempre nos orientando para despertarmos do sono no sentido espiritual para que alcancemos a salvação.
“E isto digo, conhecendo o tempo, que já é hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé”. (Romanos 13:11).

Brecha da ira


A ira tem causado muitos males e até mesmo a morte. Quantas pessoas ficam iradas com o coração cheio de ódio, não consegue perdoar qualquer ofensa. Está escrito Irai-vos e não pequeis, não se ponha o sol sobre vossa ira. Não deis lugar ao diabo. (Ef 4:26,27).
Muita pessoa tem perdido a benção do Senhor Jesus em virtude da ira. É necessário pedir ao Senhor ajuda nesse sentido para que sejamos uma benção em suas mãos.

Brecha da incredulidade

A incredulidade é um mal que faz as pessoas perderem as bênçãos do Senhor, mas bem aventurado é aquele que crê, este sim, poderá passar por provas, tribulações, angústias, etc, mas tem a plena certeza que receberá sua vitória.

Passaram-se os anos de provações e agora Moisés está com 120 anos, sendo 40 anos de peregrinação pelo deserto; e o Senhor manda que ele deixe Josué como seu substituto e que suba o monte Nebo, onde Deus lhe mostra a terra que a nação israelita passará a possuir.
Tão logo Moisés avista a tão sonhada terra, morre, com o sentimento do dever cumprido e somente Deus sabe onde ficou seu corpo.

O reconhecimento da fidelidade de um homem

Deus havia mandado Moisés ungir a Josué como seu sucessor, pois desde os momentos em que tiveram que enfrentar os inimigos, Josué mostrou fidelidade, confiança e coragem, jamais se apartando de Moisés (Êxodo 17; 24; 32; 33 - Números 11; 13; 14; 26; 27; 32; 34 – Deuteronômio 1; 3; 31; 32; 34) e agora chegara o momento do Senhor o enaltecer.
“E ordenou a Josué, filho de Num, e disse: Esforça-te e anima-te; porque tu introduzirás os filhos de Israel na terra que lhes jurei; e eu serei contigo”. (Deuteronômio 31: 23).

O povo foi reunido e Deus falou a Josué: “Esforça-te, e tem bom ânimo; porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria. Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo, para teres o cuidado de fazer conforme a toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares”. (Josué 1:6-7).

            Josué assume o comando e dá continuidade a missão que Deus havia dito de levar o povo a uma terra que mana leite e mel e que estava bem próxima de ser conquistada.

Os preparativos se iniciam e Josué prepara o povo para passar o rio Jordão e manda dois espias até Jericó para espiar a terra e seus inimigos.
Lá chegando hospedaram na casa de Raabe a prostituta, possivelmente seria uma hospedaria e o rei de Jericó ficou sabendo da chegada dos israelitas e mandou que seus homens fossem até o local.
Raabe os escondeu sobre o telhado e falou que eles já tinham se retirado e aqueles homens foram embora. Naquele momento ela pediu clemência para que quando o povo israelita fosse atacar Jericó que a salvasse, bem como sua família, pois sabia do poder de Deus desde a saída do povo do Egito.

Foi feito um trato que no dia do ataque não era para ninguém sair de dentro de sua casa que seriam poupados, e tão logo os espias saíram, ela colocou um pano de cor escarlate na janela.
Este pano simbolizava a marca da proteção no momento em que ocorreria a destruição de Jericó.
No Egito na morte dos primogênitos, foi orientado por Deus para passar sangue sobre as vergas das portas dos israelitas para não serem atingidos.
“Então tomai um molho de hissopo, e molhai-o no sangue que estiver na bacia, e passai-o na verga da porta, e em ambas as ombreiras, do sangue que estiver na bacia; porém nenhum de vós saia da porta da sua casa até à manhã. Porque o SENHOR passará para ferir aos egípcios, porém quando vir o sangue na verga da porta, e em ambas as ombreiras, o SENHOR passará aquela porta, e não deixará o destruidor entrar em vossas casas, para vos ferir”.(Êxodo 12:22-23).

Muitas pessoas colocam tiras vermelhas em veículos ou até mesmo nos punhos por acharem que estarão protegidos dos “mal olhados”, mas se esquecem que o único que pode oferecer proteção é Jesus Cristo.
Este é o motivo porque os crentes verdadeiros não precisam de apetrechos, nem amuletos em seus corpos ou bens para proteção, pois já carregam a marca de Cristo e são lavados e remidos com o precioso sangue do cordeiro.

Rastros no fundo do rio

            Josué ordena para que o povo se santifique e siga a arca do concerto que já estarão prestes a atravessar o rio Jordão para conquistar a terra prometida.

            Deus fala a Josué que a partir daquele dia começará a engrandecer-lhe, perante todo Israel, para que eles saibam que assim como Deus foi com Moisés, seria com Josué. (Josué 3:7).
             E assim sucedeu, quando os doze homens que carregavam a arca colocaram a plana dos pés na água o rio Jordão parou seu curso, como que represado e o povo passou a seco, deixando seus rastros no fundo do rio.
             
A arca representava a glória de Deus e quem tem a glória de Deus consigo transpõe qualquer obstáculo, pois Deus está com ele.
           
Deus manda que apanhe doze pedras do fundo do rio onde pisaram, ficando estas pedras como sinal entre o povo para quem perguntasse, diriam que o Senhor havia separado as águas do rio Jordão, assim como já anteriormente Deus havia feito secar o mar Vermelho perante o povo que passaram sem se molhar.

Deus cuida de cada detalhe para que o servo do Senhor possa glorificar naquilo que parece impossível aos olhos humanos, mas possível àquele que crê na grandeza e nos feitos do Deus altíssimo e poderoso.

A conquistas das cidades prometidas

Jericó foi a primeira cidade a ser conquistada, onde através da obediência o povo de Israel a cercaram. Depois de seis dias de cerco o povo rodeava uma vez por dia a cidade e no sétimo dia, rodearam por sete vezes e quando foi tocada a buzina pela sétima vez os muros caíram por terra. Foi preservada apenas Raabe e sua família, em virtude da promessa.
Aquele que tem promessa do Senhor ele preserva e também sua família.
Foi determinado ao povo que não apanhasse pertences daquele povo, com exceção da prata e o ouro para a casa do Senhor. Porém, um deles não resistiu e guardou uma capa babilônica, e duzentos ciclos de prata, e uma cunha de ouro, do peso de cinqüenta ciclos (Josué 7:21).

A próxima cidade a ser conquista seria Ai, onde foram enviados espias que disseram que não havia necessidade de mandar um grande número de guerreiros, dizendo que eram poucos.

Na ocasião uns trinta e seis guerreiros israelitas foram feridos e Josué se prostrou diante da arca do concerto.

Dura coisa é o homem sair da direção de Deus e desta forma aconteceu. O povo hebreu estava autoconfiante em si próprio e não buscaram o consentimento do Senhor, por isso sofreram baixas.

Quantos querem fazer da sua própria forma, sem buscar de Deus o que realmente é da Sua vontade. Pela desobediência, perece, sofre desnecessariamente e paga preço pelo egoísmo.

Deus fala a Josué e manda que se levante e conta-lhe que não puderam prevalecer sobre o inimigo, porque havia anátema no meio deles.
Acã foi descoberto, pois fora ele quem havia subtraído as peças babilônicas e agora pela Lei, levaram ele e sua família e até os animais, onde foram apedrejados e queimados.
Acã foi um traidor e pela sua ganância pelo dinheiro e irresponsabilidade, fez com que muitos perecessem e se não fosse a misericórdia do Senhor, teria acontecido o pior.

“Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração”. (Mateus 6:21).

Deus fala a Josué para não temer, pois daria a cidade e o inimigo em suas mãos, e, desta forma Ai também foi conquistada.

Com o Senhor à frente tudo vai bem e os inimigos não permanecem de pé para Sua honra e glória, sendo que Josué edificou altares ao Senhor.

Edificar altares é reconhecer o poder de Deus e agradecer ao pela Sua bondade e misericórdia pelo Seu povo.

Conclusão

Os povos heteus, e os amorreus, os cananeus, os perizeus, os heveus, e os jebuseus, vendo que o povo hebreu por onde passava, conquistavam tudo, tramaram pelejar contra eles.

O inimigo fica furioso quando o povo de Deus começa a receber as bênçãos e as promessas se cumprindo em suas vidas.
Ele trama de todas as formas uma maneira de impedir que o povo do Senhor seja feliz, mas é maior o que está conosco dos que são contra.

Não devemos subestimar o adversário, pois é ardiloso e astuto e desta feita, mandou um povo gibeonita fingindo ser embaixadores para falar com Josué.
Eles trajavam roupas e calçados velhos, trazendo pão bolorento, fingindo ser viajantes de muito tempo.

Há um ditado que diz: “por fora minha viola, por dentro pão bolorento”.
Quando chegaram ao acampamento dos israelitas, contaram uma história convincente e queriam se unir ao povo hebreu.
Mais uma vez Josué não vigiou e acabou aceitando o inimigo junto deles.
O adversário vem com sapatinho de algodão e tem um poder de convencimento muito grande para aquele que não vigia.

Mas para Deus nada fica encoberto e foram descoberta a verdadeira identidade, ou seja, eram gibeonitas disfarçados.
Em virtude do acordo com esse povo agora não podiam dispensá-los, mas ficaram servindo como rachadores de lenha e tiradores de água para a Casa do Senhor.

Depois de algum tempo os demais reis se voltaram contra os gibeonitas e foram à peleja. Vendo que agora os seus ex-amigos estavam contra, apelaram para os que os israelitas pudessem ajudá-los.

E o SENHOR disse a Josué: ‘Não os temas, porque os tenho dado na tua mão; nenhum deles te poderá resistir’. (Josué 10:8).

Desta forma, após Deus dar seu aval de vitória para Josué e o povo de Israel eles foram à peleja.

E a matança contra os adversários foi grande, porque Deus pelejava por eles e enquanto os adversários fugiam Deus manda uma saraivada (chuva de pedras) que caiam sobre eles e os eliminava.
Josué vendo que a luta poderia ir noite adentro, faz um pedido ao Senhor: Sol, detém-te em Gibeom, e tu, lua, no vale de Ajalom.  E o sol se deteve, e a lua parou, até que o povo se vingou de seus inimigos. Isto não está escrito no livro de Jasher? O sol, pois, se deteve no meio do céu, e não se apressou a pôr-se, quase um dia inteiro.

E desta forma aconteceu, sendo que o Senhor deu a vitória completa para seu povo, em virtude da oração de um homem.
Deus faz o impossível, até mesmo parando o universo para realizar o pedido de um filho Seu.